Pritzker: história e todos os vencedores do Oscar da arquitetura

Dicas de contabilidade para arquitetos
14 de agosto de 2018

Considerado o Oscar ou o Nobel da arquitetura, o Prêmio Pritzker é a condecoração mais importante que um arquiteto pode receber em vida. O prêmio é outorgado todos os anos a arquitetos cuja obra “tenha produzido significativas contribuições para a humanidade ao longo dos anos”, de acordo com a própria organização.

Veja neste post a história da premiação, o condecorado de 2018 e todos os arquitetos que já ganharam o Prêmio Pritzker.

História do Prêmio Pritzker

A primeira edição do Prêmio Pritzker aconteceu em 1979, por iniciativa de Jay Pritzker e Cindy Pritzker, uma das famílias mais ricas da América, dona da famosa cadeia hoteleira Hyatt. Com a premiação, o casal desejava encorajar arquitetos e urbanistas a realizarem projetos mais ousados e grandiosos.

Financiado pela Hyatt Foundation, multinacional comandada hoje por Tom Pritzker, filho do casal, os ganhadores recebem uma premiação de 100 mil dólares, além de certificado e uma medalha feita em bronze com a famosa inscrição “firmitas, utilitas, venustas”, ou seja, estabilidade, comodidade e encantamento, termos descritos pelo romano Vitrúvio como os elementos fundamentais da arquitetura.

A premiação é um evento concorrido e único, apenas com convidados da área e do país sede. O local da consagração é escolhido a dedo, sendo normalmente em uma construção reconhecida, que evoque o motivo do evento.

Para concorrer, profissionais da arquitetura enviam à direção do prêmio a sugestão de nomes e suas respectivas obras. A escolha é feita por um júri composto por nove especialistas de diferentes áreas, que além de arquitetura, inclui negócios, educação, cultura e urbanismo.

O Brasil já teve dois arquitetos vencedores no Prêmio Pritzker: Oscar Niemeyer, em 1988; e Paulo Mendes da Rocha, em 2006.

Prêmio Pritzker 2018

Balkrishna Doshi (photo courtesy of VSF)

Este ano, o Prêmio Pritzker foi concedido a Balkrishna Doshi, primeiro indiano a receber a premiação.

Arquiteto e professor, Doshi tem 90 anos e é considerado um dos principais nomes da arquitetura sul-asiática, destacando-se, sobretudo, por sua contribuição para a evolução do discurso arquitetônico na Índia.

Reconhecido por um profundo senso de responsabilidade social, Doshi foi um dos pioneiros na criação de projetos de habitações sociais, além de autor de obras para administrações, serviços públicos e instituições culturais e educacionais.

Doshi trabalhou lado a lado com nomes como Le Corbusier e Louis Kahn, que influenciaram os seus trabalhos. O vencedor do Pritzker 2018, no entanto, desenvolveu uma linguagem única, que une as tradições da cultura indiana e técnicas de pré-fabricação, sem deixar de acompanhar as novas tecnologias e as mudanças.  

Principais obras: Complexo Habitacional Aranya, local onde vivem mais de 80 mil pessoas, e Indian Institute of Management, entre muitos outros aclamados projetos.

Conheça todos os vencedores do Prêmio Pritzker

2018 – Balkrishna Doshi, Índia

2017 – Rafael Aranda, Carme Pigem e Ramon Vilalta, Espanha

2016 – Alejandro Aravena, Chile

2015 – Frei Otto, Alemanha

2014 – Shigeru Ban, Tóquio

2013 – Toyo Ito, Coreia

2012 – Wang Shu, China

2011 – Eduardo Souto Moura, Portugal

2010 – Kazuyo Sejima e Ryue Nishizawa, Japão

2009 – Peter Zumthor, Suíça

2008 – Jean Nouvel, França

2007 – Richard Rogers, Itália

2006 – Paulo Mendes da Rocha, Brasil

2005 – Thom Mayne, Estados Unidos

2004 – Zaha Hadid, Iraque

2003 – Jorn Utzon, Dinamarca

2002 – Glenn Murcutt, Austrália

2001 – Jacques Herzog e Pierre de Meuron, Suíça

2000 – Rem Koolhaas, Holanda

1999 – Norman Foster, Reino Unido

1998 – Renzo Piano, Itália

1997 – Sverre Fehn, Noruega

1996 – Rafael Moneo, Espanha

1995 – Tadao Ando, Japão

1994 – Christian de Portzamparc, França

1993 – Fumihiko Maki, Japão

1992 – Álvaro Siza, Portugal

1991 – Robert Venturi, Estados Unidos

1990 – Aldo Rossi, Itália

1989 – Frank Gehry, Canadá

1988 – Oscar Niemeyer, Brasil e Gordon Bunshaft, Estados Unidos

1987 – Kenzo Tange, Japão

1986 – Gottfried Bohm, Alemanha

1985 – Hans Hollein, Áustria

1984 – Richard Meier, Estados Unidos

1983 – I. M. Pei, Estados Unidos

1982 – Kevin Roche, Estados Unidos

1981 – James Stirling, Reino Unido

1980 – Luis Barragán, México

1979 – Philip Johnson, Estados Unidos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *